Café da manhã reúne parceiros e diretores para celebração dos resultados

Conforme prevê o Estatuto do Instituto Paranaense de Reciclagem, foi realizada no dia 20 de dezembro a 2ª Reunião de Diretoria do Instituto, sendo a 2ª Reunião Ordinária do Conselho Fiscal e 2ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo do InPAR. Estiveram em pauta balanços contábeis, atualizações para 2018, entre outros assuntos.

Durante o café da manhã, parceiros do InPAR e representantes de sindicatos e associações estiveram presentes para a apresentação dos resultados do semestre. Dentre ações, estão principalmente a criação do Comitê Técnico do InPAR; reuniões com sindicatos e associações; a realização do 1º Seminário Paranaense de Logística Reversa; o apoio ao Dia do Desafio Ambiental; a participação no V Workshop Sindiavipar, em Foz do Iguaçu (PR) e a reunião com a Ocepar e cooperativas agropecuárias de todo o estado; a participação na V Edição da Missão Benchmarking Internacional Resíduos Sólidos, em Portugal.

“Com o InPAR, somos vanguarda, saímos na frente. Tivemos a chance de construir o instituto junto com a Secretaria de Meio Ambiente do Paraná, com o governo e com o apoio irrestrito da Fiep, para mostrar que estamos unidos para cuidar do meio ambiente com a implantação da logística reversa”, declarou o presidente do InPAR, Rommel Barion, na abertura do evento.

O presidente disse também que as metas do instituto foram cumpridas e falou sobre os desafios para 2018, que são principalmente a ampliação da base de associados e o apoio efetivo do poder público para a implantação da logística reversa. “Nós temos grandes oportunidades de desenvolver o InPAR e continuar a realizar um bom trabalho, para trazer mais segurança política jurídica e econômica às empresas associadas e para todo o setor. Se ainda não tivéssemos iniciado essa empreitada, teríamos um custo muito mais alto lá na frente”, analisou.

Segundo o assessor técnico da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Alexandre Amorim Monteiro, a associação participa do comitê técnico do InPAR e apoia linhas de trabalho como o desenvolvimento das associações de catadores. “Dentro do Sistema Ocepar, nós também temos as cooperativas agroindustriais que trabalham com produtos alimentícios e, consequentemente, precisam fazer a logística reversa das embalagens. Então estamos trabalhando para que elas realizem esse trabalho com o apoio do InPAR”, diz.

Monteiro comemora também os resultados obtidos pelo instituto no primeiro semestre: “o InPAR é uma inciativa fantástica para desenvolver a logística reversa e tem um grande potencial para o futuro. Além disso, representa um importante avanço para o setor de alimentos. Estamos satisfeitos com os resultados já obtidos em tão pouco tempo”.

A coordenadora de Logística Reversa do Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado do Paraná (Sinqfar), Juvita Lima Leoni, ressalta que é fundamental essa união dos sindicatos e das indústrias para, de fato, implantar a logística reversa. “Sozinhos, vimos que é muito difícil. Por isso, quanto mais articulação, com mais empresas, órgãos, governo e cooperativas envolvidos, mais real será o nosso propósito, deixa de ser apenas um ideal. Muitas empresas ainda não entenderam que todos terão que se adequar conforme a lei”, alerta.

Confira as fotos do evento: