A Pipoteca foi fundada em 1978, no bairro Fanny, em Curitiba por Sebastião Anastácio dos Santos e até hoje é comandada pela família. Atualmente possui 40 funcionários e um modelo de negócios colaborativo que impacta diversas famílias que adquirem os produtos da empresa para a revenda, além de toda a cadeia de fornecedores de matérias-primas e embalagens.

Atualmente, conta com uma linha de mais de 50 produtos entre salgadinhos de milho, trigo e pipocas. Os dois mais conhecidos (e que já se tornaram clássicos entre os curitibanos) são a pipoca doce de embalagem vermelha (produção de 3 mil pacotes por dia) e o salgadinho de milho sabor manteiga de embalagem roxa (15 mil pacotes por dia). Todos fabricados num processo moderno, sem contato manual e seguindo um rígido protocolo de higiene.

A Pipoteca é filiada ao InPAR desde a criação do instituto em 2017 e hoje possui uma preocupação com a redução de geração de resíduos e o descarte adequado das embalagens pós-consumo, incluindo orientações ao consumidor final. Segundo o diretor comercial, Alcione dos Santos, o objetivo da associação ao InPAR foi implementar ações de logística reversa mais estruturadas e com o acompanhamento de uma equipe especialista no assunto.

“Nosso intuito é ter uma atuação mais preventiva nesta frente, com um olhar para toda a nossa cadeia de produção, desde os fornecedores, indústria, distribuidores, comerciantes e consumidores. A criação do InPAR foi uma excelente iniciativa colaborativa e preventiva frente ao que a indústria precisa se adequar para reduzir os impactos ao meio ambiente”, explica.