O ano de 2020 enfim chega ao seu final. Em meio a tantos desafios e dificuldades, a discussão sobre a logística reversa continuou em alta e diversos atores começaram a se movimentar para atender os parâmetros exigidos pelas legislações. Boa parte dessa mobilização se deve à sanção de leis estaduais para regular a logística reversa das embalagens pós-consumo colocadas no mercado brasileiro.

Esse foi o caso do Mato Grosso do Sul que passou a exigir a inserção de informações sobre a logística reversa de embalagens no SisReg, sistema eletrônico criado pelo governo estadual. O prazo acabou sendo adiado para 31 de janeiro de 2021, mas quase dez mil empresas de todo o Brasil foram intimadas pelo Ministério Público do MS para fornecer as informações requeridas pelos órgãos ambientais competentes. Ainda que não estejam localizadas naquele estado, todas as empresas que comercializaram produtos embalados no estado a partir de 2019 devem se adequar.

A tendência é que outras unidades da federação também publiquem legislações e regulamentações relacionadas à logística reversa de embalagens em 2021. Ao todo, seis estados já possuem normativas sobre o tema, enquanto pelo menos outros seis estão em fase avançada de discussão, incluindo o Paraná. Em um segundo momento, seguindo o exemplo do Mato Grosso do Sul, também lançarão seus sistemas eletrônicos para que as indústrias registrem as informações relacionadas à logística reversa. De qualquer maneira, as indústrias precisam se adequar para evitar futuras sanções. É nesse momento que o setor produtivo pode contar com a expertise do InPAR no assunto. Estamos à disposição para auxiliar as empresas para que estejam de acordo com a legislação.

É válido lembrar que o InPAR realiza investimentos diretos ou indiretos em projetos de auxílio a cooperativas, associações e projetos de reciclagem, coleta e destinação correta de resíduos. Para 2021, novos projetos e parcerias devem ser anunciados. Também mantemos um diálogo constante com o poder público e o Ministério Público para garantir os interesses das indústrias e de nossos associados e buscar o melhor entendimento sobre os cumprimentos de legislações.

Para 2021, vamos intensificar o diálogo com todos os atores envolvidos nesse processo para garantir que mais indústrias estejam de acordo com a legislação e possam colaborar para a preservação do meio ambiente de maneira financeiramente sustentável. Estamos sempre abertos a novas empresas que desejem somar-se ao InPAR. Quanto maior for a nossa escala, maior também será o alcance de nossas ações, com menor custo para todos.

Por fim, também lamentamos o falecimento de Péricles Pessoa Salazar, presidente do Sindicarne e da Abrafrigo, além de vice-presidente do InPAR e um dos nossos fundadores. Nossos sentimentos à família e amigos.

Desejamos a todos boas festas e um excelente 2021 para todos.

Instituto Paranaense de Reciclagem