Quando se trata de promover na prática os princípios da responsabilidade compartilhada previstos na Política Nacional de Resíduos Sólidos, um setor se destaca: o das latinhas de alumínio. O setor firmou em novembro de 2020 um termo de compromisso com o Governo Federal para implantar o programa Cada Lata Conta, que tem como objetivo manter os altos números de reciclagem, hoje em torno de 97%. O acordo estabelece metas e objetivos como um reaproveitamento mínimo de 95% das latas que são colocadas no mercado e compra garantida de 100% da sucata da lata coletada. Os índices de reciclagem serão certificados por uma empresa independente e divulgados até o dia 31 de março do ano seguinte.

O trabalho de reciclagem das latinhas de alumínio é de fundamental importância, já que esse material pode ser reciclado indefinidamente sem perda de qualidade. Essa reciclagem representa uma economia de 95% de economia de energia e de emissões de CO2 para a produção de latas. Ao todo, 74 latinhas podem ser produzidas a partir de um quilo de alumínio reciclado.

O trabalho exitoso se deve ao fato de que toda a cadeia produtiva está envolvida no processo de logística reversa. O investimento em reciclagem feito por indústrias de latas, distribuidores, importadores, fabricantes de bebidas e comerciantes. O envolvimento de todos os elos empresariais garantiu a escala que viabilizou o sistema e hoje remunera milhares de catadores e recicladores. As grandes empresas de bebidas compram os materiais recicláveis e os revendem às empresas fabricantes de latas. Segundo associações do setor, a reciclagem das latinhas movimenta cerca de R$ 1 bilhão e todos os elos investem e ganham de forma balanceada.

O trabalho com as latas de alumínio é exemplar porque demonstra como as soluções surgem espontaneamente quando os interesses econômicos são convergentes. E como tudo funciona bem quando as responsabilidades e os benefícios são distribuídos entre todos os interessados e envolvidos, sem excluir ninguém. Esse é um bom exemplo de que com diálogo é possível se chegar a uma equação comum onde todos se beneficiam financeiramente e ofereçam as suas contribuições para o meio ambiente.