Crédito: Fernanda Bertola

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O consultor técnico e representante da Associação de Logística Reversa de Embalagens, Ailton Storolli, apresentou aos participantes da 6ª Assembleia Geral Extraordinária do InPAR, realizada em Maringá em 22 de janeiro, o panorama do trabalho realizado pela Coalizão Embalagens em 2019 e as expectativas para este ano.

Storolli destacou que a Coalizão, ao longo de 2019, articulou e debateu com representantes do Ministério do Meio Ambiente, Ministério Público e da Confederação Nacional dos Municípios os termos para a Fase 2 do Acordo Setorial de Embalagens em Geral.

O Acordo Setorial, assinado em novembro de 2015, tem como objeto a implantação de um sistema de logística reversa das embalagens contidas na fração seca dos resíduos sólidos urbanos ou equiparáveis. Os responsáveis por esta implantação são os fabricantes e importadores de embalagens, os fabricantes e importadores usuários de embalagens, os distribuidores e os comerciantes.

A expectativa é que neste ano, ao invés da assinatura da Fase 2 do Acordo Setorial, o Acordo de 2015 seja descontinuado. Dessa maneira, foram criados quatro Acordos Setoriais, desta vez, por tipo de materiais que constituem as embalagens (aço, vidro, papel/papelão e plástico).

Os novos acordos também contemplarão metas regionais e a utilização de Manifestos de Transporte de Resíduos (MTR) como comprovantes de destinação ambientalmente adequada. “A proposta do novo acordo estabelece auditoria independente para garantir informações verdadeiras”, completou Storolli.

Coalizão Embalagens

A Coalizão Embalagens, é o grupo de 14 organizações representativas do setor empresarial que, em 2015, assinou o acordo setorial federal para implantação do Sistema de Logística Reversa de Embalagens em Geral de Produtos não Perigosos. A Coalizão Embalagens representa 36% das embalagens comerciadas no mercado brasileiro.

Reciclar pelo Brasil

Storolli também apresentou os resultados da região Sul do programa Reciclar pelo Brasil em 2019. Fruto de uma parceria entre indústrias e associações – entre as quais, a ASLORE da qual o InPAR é integrante – o projeto visa permitir a profissionalização de cooperativas de catadores, propiciando um incremento na produtividade e na renda dos cooperados. O InPAR integra o projeto por meio da ASLORE.