Aconteceu, em Curitiba, a 2ª edição do Seminário Paranaense de Logística Reversa. Realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em parceria com o Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR) e com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná (SEMA/PR), o evento reuniu empresários, industriais e profissionais da área de produção e meio ambiente para debater a Logística Reversa (LR). Abordando temas como economia circular, simplificações fiscais e tributárias, instrumentos econômicos, propostas de incentivos econômicos, entre outros, o encontro tinha como objetivo discutir as diretrizes para o setor industrial, resultantes das políticas estaduais e nacionais de gerenciamento de resíduos sólidos.

Para Rommel Barion, presidente do Instituto Paranaense de Reciclagem, participar de um evento como este é de extrema importância, dada a preocupação com o meio ambiente. “É uma honra para o InPAR fazer parte da 2ª edição do Seminário Paranaense de Logística Reversa. Estar ao lado de nomes relevantes, debatendo os desafios e perspectivas para o setor industrial dentro de um panorama ambiental e da LR é de suma importância para promover um desenvolvimento econômico sustentável no estado”, comenta.

De acordo com Antônio Carlos Bonetti, Secretário Estadual de Meio Ambiente, o debate ocorre em um momento político oportuno. “Nós acabamos de concluir uma fase muito importante – a entrega do Plano Estadual de Resíduos Sólidos. Nele constam inúmeras informações que possibilitam o planejamento a curto, médio e longo prazo dos empresários. O Paraná ainda precisa avançar no que diz respeito à facilitação do licenciamento e, além disso, implementar, de maneira gradativa, um programa de incentivo fiscal que favoreça o aumento da adesão a Logística Reversa por parte das indústrias”, comenta.

Ainda segundo Bonetti, a parceria entre o Estado e organizações como o InPAR, são imprescindíveis para que esse movimento continue crescendo. “É preciso trabalhar com parcerias fortes. O InPAR surgiu como uma possibilidade de fazer a ponte entre as partes envolvidas na questão da reciclagem e gerenciamento de resíduos. Unir o governo, os catadores e as indústrias será fundamental para o avanço do Paraná no que tange a Logística Reversa”, finaliza Bonetti.