O InPAR, juntamente com o Sistema Fiep, o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria no Estado do Paraná (Sipcep) e o Sindicato das Indústrias de Papel e Celulose do Paraná (Sinpacel) desenvolveram um projeto que visa promover a conscientização ambiental dos consumidores por meio da impressão de histórias em quadrinhos educativas em cartuchos de pães. O Projeto contemplará seis histórias que exploram a temática ambiental com ênfase no descarte correto dos resíduos sólidos e na logística reversa de embalagens. O primeiro roteiro será impresso em 150 mil cartuchos de pão que serão distribuídos em panificadoras selecionadas de Curitiba e Região Metropolitana. Os demais roteiros serão impressos e distribuídos ao longo de 2020. Nesta primeira etapa, a iniciativa tem grande apoio da Leal Embalagens, empresa paranaense referência no setor que atua no mercado de industrialização e comercialização de produtos descartáveis de papel há quase 30 anos.

A ideia de distribuir cartuchos de pão contendo histórias em quadrinhos educativas veio da percepção do potencial próprio ao setor da panificação que permite a criação de ações que interagem diretamente com o consumidor final. O projeto de educação ambiental em panificadoras consiste na divulgação da importância da separação e destinação adequada das embalagens em geral, utilizando-se como meio de comunicação os cartuchos de pão. Além disso, a atividade promove a educação ambiental da população paranaense e transforma as panificadoras em um espaço de debate e reflexão sobre como os resíduos são gerados e descartados.

De acordo com a última estimativa realizada pela Associação dos Cartunistas do Brasil (ACB) em 2018, o mercado de leitores de quadrinhos mobiliza cerca de 20 milhões de leitores por mês no Brasil. As histórias em quadrinhos podem ser constituídas por textos e/ou imagens com o objetivo de entreter, informar, disseminar uma ideia ou até mesmo promover a conscientização da população sobre um determinado tema. Dessa forma, o InPAR consegue incentivar a educação ambiental de crianças e adultos, uma vez que o formato dessa narrativa é atraente à todas as faixas etárias. Para isso, conta com o apoio do ilustrador curitibano Giovani Medine.